Sobe o número de mulheres querendo ser garotas de programa em boates. Veja!

A crise econômica e o desemprego fez aumentar o número de mulheres procurando trabalho como garota de programa, em boates e Casas de Shows, revelam donos de boates do Espírito Santo.

Em busca de estabilidade econômica, realização de sonhos, concluir uma faculdade e conseguir manter as contas em dia, muitas mulheres que perderam o emprego estão optando em ganhar dinheiro usando o próprio corpo, como garotas de programa.

De acordo com o dono de uma boate em Vila Velha, “São meninas que já têm curso superior ou que vão trabalhar depois de ir à aula na faculdade. É uma forma delas tirarem o sustento para pagar os estudos, o carro e até o apartamento”, disse o empresário.

Foto: Thiago Coutinho

após se separar  e perder o emprego como manicure, em 2017, uma mulher de 40 anos virou garota de programa. (Foto: Thiago Couinho/AT)

A garota de programa, que também gerencia uma casa de prostituição na Serra, contou que trabalha diariamente e que já chegou a atender até 13 clientes em um único dia.

Redação: Jornal ATV – A Tribuna do Vale o seu portal de notícias online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *